RAINHA DA PAZ

ESTE BLOG ESTÁ SENDO SUBSTITUIDO PELO BLOG DE NOSSA SENHORA DE MEDUGORJE http://nossasenhorademedjugorje.blogspot.com/

21.12.08

BOM TRABALHO SANTO PADRE

BOM TRABALHO SANTO PADRE!

 

 

                   Desde que em 1981, em Medjugorje, um lugarejo da Bósnia-Herzegovina, Nossa Senhora começou a profetizar sobre as sortes da humanidade, muitos homens de Igreja acabaram com o fenômeno, carimbando-o como obra de fanáticos visionários. Deixando de lado a veracidade ao menos do fato especifico, o que impressiona é o fato que profecias mais traiçoeiras e bem mais difíceis de desmascarar, não são, como se pensa, aquelas externas à Igreja, mas aquelas de dentro da Igreja.

 

                   Como é notório, falsas profecias e milenarismos fora da Igreja são difundidos por falsos místicos - videntes laicos, e de todas aquelas formas de religião ou de filosofias que se apresentam em contraste com o Catolicismo.

 

                   A falsa profecia, porém, pode-se operar no interior da mesma Igreja por meio de falsos Pastores e falsos Teólogos que pregam “outras coisas” a respeito das orientações do Magistério, do Vigário de Cristo e do Catecismo da Igreja Católica.

 

                   Neste caso é difícil tirar a máscara dos mistificadores, uma vez que, permanecendo materialmente no interior da Igreja, conseguem comercializar mentiras satânicas confeccionadas por verdades divinas através da armadura dos paramentos sagrados e da autoridade.

 

                   As falsas profecias perpetradas por lobos ferozes disfarçados de ovelhas, são as temáticas mais apontadas na Sagrada Escritura, tanto no Antigo como no Novo Testamento, porque representam o perigo maior para a sobrevivência da Unidade da Igreja e da autenticidade da mensagem cristã.

 

                   As falsas profecias, vale a pena lembrar, é a atividade com a qual satanás, o primeiro falso profeta, mentiroso por excelência, tenta, através da ajuda dos seus ministros humanos - pouco importa se de batina ou seculares, destruir a Igreja Católica.

 

                   Os falsos profetas dos tempos modernos difundiram enormidades de todo gênero. Apenas para tornar mais clara a idéia, eis alguns exemplos de desvio doutrinal, condenados pela Congregação da Doutrina da Fé, mas que poderia continuar ao infinito.

 

                   Os “discípulos de belzebu” inventaram a teologia da libertação, apoiaram o pacifismo, dando o sinal verde ao parentesco com movimentos políticos ateus, aborticídios e simpatizantes gays; negando a existência do demônio e do inferno, afirmando que “ao fim da salvação” uma religião e igual à outra, dessacralizando a liturgia, concedendo a comunhão aos divorciados e “abençoando” os amasiados (tomam até o aeroplano para abençoar amasiados do outro lado do oceano, naturalmente da alta elite que podem pagar uma boa importância).

 

                   Nesta duplicidade de agir, por parte dos inimigos de Cristo, o Papa Bento XVI não ficou inerte a observar. Embora com instrumentos diferentes, iniciou a expulsar esses “vendedores do templo”. Mas muita sujeira está esperando ainda para ser queimada. Finalmente chegou o tempo do Papa Ratzinger começar a dar vassouradas para tirar todo o lixo que ainda permanece ali e acolá dentro da Igreja. Bom trabalho Santo Padre!

PE. EUGENIO MARIA, FMDJ

criado por mateusmaria    17:57:14 — Arquivado em: VEJA - MEDJUGORJE

10.12.08

NUNCIO APOSTÓLICO DA BELGICA EM MEDJUGORJE

Em 3 de outubro de 2004, Medjugorje recebeu um grande sinal do amor da Igreja, e do olhar carinhoso do Grande Papa João Paulo II, por meio do seu Núncio Apostólico S.E. G. Battista Moretti, que celebrou em Medjugorje a Santa Missa em língua italiana.

S.E. G. Battista Moretti, anunciou em Medjugorje, o término de sua missão apostólica na Bélgica, e como agradecimento, foi a Medjugorje, agradecer a Virgem Santíssima, e quis doar a paróquia de Medjugorje os sinais de seu mandato apostólico: A Mitra, o Báculo Pastoral, o Anel, os quais lhe foram conferidos pelo Papa João Paulo II, no dia de seu mandato, sendo ele a voz do Papa, embaixador da Santa Sé na Bélgica.

O prelado quis doar estes objetos, como sinal da Presença do Papa em Medjugorje. Todos ficam muito emocionados ao verem tal gesto muito significativo, gesto este possuidor de um grande valor moral e espiritual.

criado por mateusmaria    07:51:03 — Arquivado em: VEJA - MEDJUGORJE

9.12.08

PAPA E MEDJUGORJE

PAPA BENTO XVI ABENÇOA ESTÁTUA DE NOSSA SENHORA DE MEDJUGORJE.

Sem comentário a fotografia em anexo, fala por si mesma! Foi publicada pelo "Osservatore Romano" - JORNAL OFICIAL DA SANTA SÉ.

QUEM DISSE QUE O PAPA É CONTRA MEDJUGORJE?

criado por mateusmaria    09:31:34 — Arquivado em: VEJA - MEDJUGORJE

AO DIRETOR DA VEJA parte 3

(MEMBROS DA FRATERNIDADE MONÁSTICA DOS DISCÍPULOS DE JESUS PARA A GLÓRIA DE DEUS PAI)

O TEXTO INICIA NO LINK: http://rainhadapaz.blog.terra.com.br/ao_diretor_da_veja_parte_1

A tal propósito, a vidente Marija Pavlovic declarou em 11 de julho de 1988 que não existe relacionamento algum entre a Comunidade do padre Tomislav e as aparições de Medjugorje. Trata-se de uma declaração publica, juramentada e enviada à Congregação pela Doutrina da Fé.

Este é o trecho da carta enviada pela vidente à Congregação pela Fé:

Encontro-me na necessidade moral de fazer na frente de Deus, de Nossa Senhora e da Igreja de Jesus Cristo, as seguintes declarações:

1. Dos textos "Uma chiamata nell´anno mariano" (uma chamada no ano mariano), e do testemunho que traz a minha assinatura, aparece que eu tinha trazido como resposta de Nossa Senhora a uma pergunta do padre Tomislav: "Este é um plano de Deus"; isto é, aparece que eu teria dado, por parte de Nossa Senhora, ao padre Tomislav a confirmação e a aprovação explicita da obra e do programa desenvolvido na Itália com o grupo de oração de Medjugorje.
2. Declaro que nunca pedi a Nossa Senhora uma confirmação qualquer da obra desenvolvida pelo padre Tomislav e Agnes Heupel. Nunca pedi explicitamente se eu deveria fazer parte desta obra, e nunca recebi de Nossa Senhora uma instrução qualquer a propósito de tal grupo, salvo que cada um devia ser livre para escolher por si próprio.
3. Dos textos e do testemunho que traz a minha assinatura aparece que Nossa Senhora me teria mostrado que a comunidade e o programa do padre Tomislav e Agnes Heupel eram a estrada de Deus para mim e para os outros. Agora repito que nunca recebi algo de Nossa Senhora sobre esta comunidade nem dei a padre Tomislav ou a qualquer outras pessoas uma tal confirmação e instrução por parte de Nossa Senhora.
4. O testemunho tal e qual é publicado em italiano não corresponde à verdade. Pessoalmente não tive nenhum desejo de fazer qualquer declaração por escrito.
5. Na frente de Deus, de Nossa Senhora e da Igreja de Jesus Cristo declaro que tudo o que pode ser percebido como confirmação e aprovação explicita da obra do padre Tomislav e Agnes Heupel por parte de Nossa Senhora, através de mim, é absolutamente estranho (alheio) à verdade e é também estranho à verdade que eu tenha tido o desejo espontâneo escrever aquele testemunho.
6. Creio como obrigação moral minha repetir na frente de Deus, de Nossa Senhora e da Igreja a seguinte declaração: Depois de sete anos de aparições cotidianas, depois das mais intima experiência que tenho da delicadeza e da prudência de Nossa Senhora, e das respostas às minhas perguntas pessoais, posso declarar que não é possível coligar as aparições de Medjugorje à obra desenvolvida pelo padre Tomislav e Agnes Heupel na Itália. É também necessário acrescentar que as aparições cotidianas continuam. Esta declaração a assino na frente do Santíssimo Sacramento e a destino a todos aqueles que estão ligados à Nossa Senhora de Medjugorje.
11.07.1988
Firmado: Marija Pavlovic

A conclusão que devemos tirar deste acontecimento, senhor Diretor, é um obrigado à Igreja. Se as conclusões destes acontecimentos chegaram ao fim é devido ao fato de que a Igreja aplica a parábola do joio e do trigo: agora o joio veio à luz, a Igreja o extirpou com este decreto, deixando que continue crescendo o trigo bom.
O que acontece agora? Acontece que os inimigos de Medjugorje utilizam este acontecimento para falar contra as aparições de Nossa Senhora, mas mostrei que tudo isso é pura instrumentalização. Assim fazendo, deveriam eliminar todas as aparições marianas que se verificaram no curso da História, por que em cada uma existiram contaminações deste tipo. Também em Lourdes aparecerem 50 falsas videntes ao lado de Bernadete, para não falar de Fátima, onde as seitas nem se contam mais, seitas que chegam a contestar a Santa Sé e até o Santo Padre.

E graças à prudência e à documentação da Igreja que chegamos a este decreto.
Espero ter tido útil para apurar a verdade. Obrigado por ter lido esta minha carta, um tanto longa, é verdade, mas necessária.

Despeço-me cordialmente no Senhor Jesus

Pe. Eugenio Maria Pirovano La Barbera, F.M.D.J
Prior

NB. Estou enviando copia via correio

EXTRAIDO DO NOSSO SITE: http://www.mosteiroreginapacis.org.br/portal/index.php?option=com_content&task=view&id=16&Itemid=35

criado por mateusmaria    08:45:38 — Arquivado em: VEJA - MEDJUGORJE

AO DIRETOR DA VEJA parte 2

(IR. ROSA MARIA, E IR. CECÍLIA MARIA, FMDJ)

O TEXT INICIA NO LINK: http://rainhadapaz.blog.terra.com.br/ao_diretor_da_veja_parte_1

- O caso de padre Tomislav Vlasic

Padre Tomislav Vlasic é franciscano e foi coadjutor na paróquia de Medjugorje de 1981 até 1985. Ajudava o Pároco junto aos outros frades franciscanos. Ele se proclamou guia espiritual dos videntes, mas assim não era pela simples razão de que os videntes eram crianças que, juntamente com as outras crianças, freqüentavam a paróquia e faziam referimento aos padres da paróquia para se confessarem e pelas suas próprias vidas cristãs. Os seis videntes não tinham um guia espiritual particular, também por que a sua guia espiritual era Nossa Senhora. Como todas as aparições destes últimos séculos, as crianças que Nossa Senhora escolhia nunca tiveram guias espirituais, porque disso se ocupava diretamente Nossa Senhora. Isto aconteceu com Bernadete, Massimino e Melania e para os videntes de Fátima.

No que se refere ao Decreto da Congregação pela Doutrina da Fé de 25 de janeiro de 2008, devemos dizer que este decreto chega depois de uma longa inquirição que durou vários anos. A este decreto não foi dada nenhuma publicidade, para dar a possibilidade ao interessado de colocar em prática as diretrizes da Santa Sé. Sendo que essas diretrizes não foram cumpridas, a Santa Sé encarregou o Bispo de Mostar de tornar publico aquele decreto.

O texto do decreto, publicado no sito da Diocese de Mostar, exprime-se assim:

"No contesto do fenômeno Medjugorje este Dicastério está tratando do Rev. P. Tomislav Vlasic, OFM, originário desta região e fundador da agregação ‘Krajice Mira, potpuno tvoji - pó Mariji k Isusu’. Com o decreto de 25 de janeiro de 2008, devidamente intimado, este Dicastério impôs severas medidas cautelares e disciplinares ao Rev. Vlasic. Noticias não infundadas, chegadas a esta Congregação, revelam que o religioso não tenha obtemperado, nem parcialmente à obediência eclesiástica pedida pela delicadíssima situação na qual se encontra, enquanto se sabe que desenvolve solerte atividade na Diocese de Mostar-Duvno e territórios pertinentes, dando vida a obras de religiões, edifícios e outro. Sendo que o Rev. Vlasic incorreu na censura do interdito ‘latae sententiae’ reservada a este Dicastério, peço a E.V., para o bem dos fiéis, informar a comunidade da condição canônica do P. Vlasic, e, no entanto, relacionar acerca da situação em mérito…"

A Santa Sé tinha, portanto, tomado as medidas cautelares em 25 de janeiro de 2008, mas, constatando que o padre Tomislav não tinha obtemperado a tais obrigações, mas prosseguido na sua atividade, a Santa Sé encarregou o Bispo local de publicar tais medidas cautelares, que foram tomadas nos seus confrontos.

No Decreto da Congregação está escrito que o Rev. P. Tomislav Vlasic é clérigo da Ordem dos Frades Menores - fundador da agregação "Kraljice Mira, potpuno tvoji - pó Mariji k Isusu" e envolvido no "fenômeno Medjugorje" - assinalado da Congregação "por divulgações de duvidosas doutrinas, manipulações de consciências, suspeito de misticismo, desobediência às ordens legitimamente emanadas e imputações contra ‘sextum’".

Padre Tomislav fundou uma agregação que nunca foi reconhecida pela Santa Igreja, diferentemente da nossa ou de outras comunidades reconhecidas pela Igreja. Uma dessas Comunidades está localizada no nordeste do Brasil, é a Comunidade Mariana "Oásis da Paz" Santuário Nossa Senhora Imaculada "Rainha do Sertão" Caixa postal 15 63900 QUIXADÁ - CE - BRASIL Tel-Fax: 0055.88-4121373 E-Mail: oapaqx@ig.com.br.

Nossa Fraternidade Monástica dos Discípulos de Jesus, está localizada em São Paulo, Capital, e fomos aprovados antes como ‘Associação privada de fiéis, depois como associação pública e enfim como Priorado "sui iuris.". Esta agregação do P. Tomislav se chama "Rainha da paz, todos teus - por meio de Maria e Jesus", e foi criada à vontade desse franciscano. Segundo a Congregação pela Doutrina da Fé tal "agregação" de padre Tomislav está envolvida no "fenômeno Medjugorje".

Algumas pessoas vêem nesta expressão uma condenação de Medjugorje, o que não é verdade. Fala-se de um exame operado pela Doutrina da Fé no contexto do "fenômeno Medjugorje". Tomando por exemplo Fátima: no contexto do "fenômeno Fátima" foram numerosíssimas as seitas que nasceram em seguida às aparições aos três pastorinhos, mas que não têm nenhum relacionamento com eles.

As sanções contra o padre Tomislav são as seguintes:

1. Obrigação de morar em uma domus Ordinis da região Lombardia (e não Ligúria como se escreve no artigo de Veja), determinada pelo Ministro Geral da Ordem, a ocorrer em trinta dias da legitima intimação do presente decreto.
2. Está interditada qualquer relação com a Comunidade "Kraljice Mira" e com os seus membros.
3. É vetado efetuar negócios jurídicos e agir nos organismos administrativos, seja canônico, sejam civis, sem licença escrita ‘ad actum’ do Ministro Geral da Ordem e sob a responsabilidade do mesmo.
4. Obrigação de seguir um iter formativo teológico-espiritual com avaliação final e, prévio ‘recognitio’ deste Dicastério, emissão da ‘profissio fidei’.
5. Está proibido o exercício das ‘curas das almas’, a pregação, de falar em publico e a faculdade de confessar, até a conclusão do quanto disposto ao número precedente, salva a avaliação em mérito.

Como pode ver, senhor Diretor, trata-se de um decreto severo. As heresias são gravíssimas, mas não tem nada a ver com os seis videntes de Medjugorje e as aparições.

O TEXT CONTINUA NO LINK: http://rainhadapaz.blog.terra.com.br/ao_diretor_da_veja_parte_3

criado por mateusmaria    08:43:15 — Arquivado em: VEJA - MEDJUGORJE

AO DIRETOR DA VEJA parte 1

(PE. EUGENIO MARIA, FMDJ)

São Paulo, 08 de dezembro de 2008

Egrégio Diretor da revista “VEJA”,

Sou o Prior de uma Fraternidade monástica nascida em Medjugorje e oficialmente aprovada pela Igreja Católica; somos de fato um "Priorado sui iuris".

Fiquei impressionado pelo artigo reportado em sua revista a respeito dos acontecimentos de Medjugorje, escrito pela jornalista Adriana Dias Lopes, onde se escreve inverdades e, me parece também, com a intenção de destruir as aparições de Medjugorje.
Em primeiro lugar quero convidar a jornalista a visitar-nos. Poderíamos fazer-lhe conhecer uma outra face de Medjugorje e talvez escrever um outro artigo fundamentado na realidade concreta da nossa experiência em Medjugorje.
Quero esclarecer três coisas que me parecem importantes (os demônios e outras coisinhas insignificantes, deixo de lado).

- O parecer da Ciência a respeito das aparições de Medjugorje.

A ciência contemporânea, dotada de sofisticados aparelhos, mostrou que os seis videntes de Medjugorje têm êxtases verdadeiros: os seis videntes são perfeitamente sãos, normais, sinceros. Durante os êxtases, realmente vêem, escutam e falam com uma realidade que a ciência não pode nem ver, nem escutar, sendo que pertencem a uma ordem diferente daquela natural.

No inicio das aparições os seis videntes foram examinados no hospital de Mostar por uma equipe de médicos e psicólogos ateus, pois estávamos ainda no regime Comunista e ditatorial de Tito. Tal equipe não teve objeções cientificas contra a experiência deles.

Em seguida foram examinados por uma equipe francesa guiada pelo Prof. H. Joyeux, depois por uma equipe italiana guiada pelo Prof. Spazianti e ainda por um grupo de especialistas italianos guiados pelo Prof. G.Ghilardi de Milão. Todos eles examinaram os seis videntes, especialmente no setor psiconeurótico, e todos chegaram às mesmas conclusões: os videntes são perfeitamente sãos, sinceros, não afetados de qualquer doença mental como epilepsia, esquizofrenia, alucinações, hipnoses, depressões…. A experiência deles vai além dos confins da ciência contemporânea.

Também eminentes teólogos e mariólogos, como por exemplo René Laurentin, o maior mariólogo vivente no mundo, interessaram-se pelos acontecimentos de Medjugorje sem encontrar nada para objetar. (René Laurentin, Il segno dell´amore di Dio, ed. Segno).
Tudo isso não é ainda fé, mas é o máximo apoio que a inteligência humana pode dar a quem quer acolher a Graça de crer.

- As diretrizes oficiais da Santa Sé a respeito de Medjugorje

A posição da Santa Sé, explicitada em vários Documentos, foi recentemente sintetizada por Sua Eminência o Cardeal Tarcisio Bertone, Secretário de Estado, no seu livro "A última vidente de Fátima" ed. Rai-Rizzoli - pag. 103-107. Sua Santidade O Papa Bento XVI quis valorizar o livro com sua pessoal prefação.

A tal respeito o Card. Bertone afirmou:

1. “As declarações do Bispo de Mostar refletem uma opinião pessoal, não é um juízo definitivo e oficial da Igreja". Bastaria esta declaração para cortar as pernas de todos os detratores de Medjugorje.”
2. "Tudo é reenviado às declarações de Zara dos Bispos da ex Jugoslavia de 10 de abril de 1991, que deixa a porta aberta a futuras indagações. A verificação deve, portanto, prosseguir". É a Santa Sé que a seu tempo não acolheu o julgamento do Bispo de Mostar e confiou o caso à Conferência Episcopal da ex-Iugoslávia . Esta última deixou a porta aberta a ulteriores indagações, sendo que as aparições continuam até hoje. Não é verdade, portanto, que a Conferência Episcopal da ex-Iugoslávia tinha expressado um julgamento negativo.
3. "No entanto, são permitidas as peregrinações privadas com um acompanhamento pastoral dos fiéis". As peregrinações privadas são aquelas organizadas privadamente pelos fiéis ou por agências laicas, e se especifica que estas peregrinações sejam acompanhadas por um sacerdote. Esse acompanhamento é muito importante, sobretudo para o serviço das confissões.
4. "Enfim, todos os peregrinos católicos podem ir a Medjugorje, lugar de culto mariano, onde é possível exprimir-se com todas as formas de devoção". Vem aqui reforçada a absoluta liberdade dos peregrinos para ir a Medjugorje, especificando que a Igreja o considera um lugar de culto mariano, onde é possível participar da Santa Missa, confessar-se, participar da "Via Crucis", da Adoração ao Santíssimo Sacramento e assim por diante.

Esta, Senhor Diretor, é a posição oficial da Santa Sé a respeito de Medjugorje, e estas são as suas diretrizes, expressadas pelo Cardeal Secretario de Estado e aprovadas pessoalmente pelo Santo Padre Bento XVI.

O TEXTO CONTINUA NO LINK: http://rainhadapaz.blog.terra.com.br/ao_diretor_da_veja_parte_2

criado por mateusmaria    08:40:14 — Arquivado em: VEJA - MEDJUGORJE

Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://rainhadapaz.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.